A ciência explica: o que causa as olheiras?

Entenda que aqueles círculos escuros que tomam conta do seu rosto têm uma explicação que vai além do cansaço, do stress e da fadiga

É difícil conhecermos alguém que nunca teve olheiras. E por mais que elas não deixem um aspecto lá muito agradável no rosto, esses círculos escuros que se formam abaixo dos olhos têm uma explicação científica que vai além das noites mal dormidas, do stress do dia a dia e do cansaço que toma conta de cada um de nós.

Então a pergunta é: você sabe quais são os fenômenos que favorecem o surgimento dessas marcas escuras abaixo ou ao redor dos seus olhos?! Não! Então não deixe de conferir este artigo para entender muito mais sobre as olheiras.

 

Pele e vasinhos

 

A melanose periorbital – que é o nome rebuscado da boa e velha olheira – é, em poucas palavras, o resultado dos vasinhos que se tornam mais visíveis sob a fina pele que temos na região dos olhos. Para se ter uma noção, a pele do contorno dos olhos tem uma média de 0,5 milímetros de espessura, enquanto a pele em outras partes do corpo costuma medir cerca de 2 milímetros.

Para entender mais sobre as olheiras, também precisamos nos lembrar de que pessoas de pele clara parecem ter veias azuis porque o tecido subcutâneo e a pele permitem que apenas os comprimentos de onda correspondentes ao azul e ao violeta passem por eles. Já nas pessoas de pele mais escura, as veias podem parecer verdes ou marrons, enquanto em pessoas muito claras – como os albinos – enxergamos uma cor mais próxima à do sangue, que parece púrpura ou vermelho-escuro.

E é exatamente o mesmo fenômeno que acontece na pele que circunda nossos olhos. Os círculos escuros que vemos nada mais são do que o resultado da luz que reflete dos vasos sanguíneos que se encontram logo abaixo da superfície da pele fina e delicada. Esse fenômeno também nos permite entender porque machucados que causam a ruptura de vasos na região dos olhos (os famosos “roxos”) aparecem muito mais do que em outras partes do corpo.

Outras explicações

Além do fato da pele dos olhos ser mais delicada, não podemos nos esquecer de que o processo natural de envelhecimento também faz com que a pele perda sua elasticidade e sua capacidade de autorregeneração – se tornando cada vez mais fina com o passar dos anos. Já notou que os idosos costumam ter olheiras, independente do número de horas que eles durmam por dia?

Ainda, existe uma condição especial conhecida como hiperpigmentação periorbital, que é basicamente a produção de melanina pela pele que fica abaixo dos olhos e resulta em uma coloração mais escura na região. Essa condição costuma ser mais frequente entre pessoas de pele mais escura. De acordo com Pratik B. Sheth, do PDU Governmental Medical College and Hospital, na Índia, essa é uma das reclamações mais frequentes com que os dermatologistas se deparam.

Dito isso, também existem fatores que podem agravar a aparência das olheiras, independentemente da predisposição genética. Um deles é a oxidação do sangue que pode vazar dos vasos sanguíneos da região dos olhos e causar danos, deixando inchaços e uma coloração escura sob os olhos. Apesar do aspecto não ser dos melhores, o problema costuma ser controlado com tratamentos adequados e, em último caso, pode-se realizar uma cirurgia.

Shutterstock

Ah, os inchaços!

 

Como se as olheiras já não fossem suficientes, existem pessoas que também sofrem com os inchaços e bolsas sob os olhos. Nos mais jovens, os sintomas costumam aparecer por causa do acúmulo de líquidos sob os olhos, que podem ser causados por doenças, alergias ou pelo consumo excessivo de sal – o que faz com que o corpo retenha mais líquidos do que o normal.

O aumento da pressão na região pode fazer com que os vasos sanguíneos fiquem mais próximos da superfície da pele, tornando, portanto, os círculos escuros mais visíveis. Os inchaços também são uma característica comum do envelhecimento.

 

Mas, e o cansaço?

 

Se você chegou até aqui, deve ter percebido que ainda não falamos sobre a relação mais direta que costumamos fazer com as olheiras: a fadiga ao fim de um dia difícil ou o cansaço que não passa depois de uma noite mal dormida.

 

Embora esses dois fatores não sejam a principal causa das olheiras, eles podem contribuir para que elas apareçam. Isso porque, quando o corpo está cansado, a produção de cortisol – um hormônio presente no organismo – aumenta consideravelmente para ajudar a manter os níveis de energia necessários para que você consiga chegar até o fim do dia.

Entre várias outras coisas, o cortisol age aumentando o volume do sangue no organismo e isso faz com que os vasos sanguíneos do corpo todo aumentem para acomodá-lo. Como vimos anteriormente, esse tipo de reação faz com que os vasos se tornem mais visíveis e, por consequência, as olheiras logo surgem sob os olhos.

Fonte: MegaCurioso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *