Ladrões furtam grande quantidade de tomate em plantação no Paraná

Produtores estimam que foram levados em torno de 300 quilos do produto.
Caso ocorreu em Tamarana, no norte do estado, na noite de segunda (2).

 

Ladrões furtaram aproximadamente 300 quilos de tomates de um sítio em Tamarana, no norte do Paraná. Os produtores estimam que foram levados entre 10 e 15 caixas do fruto. Segundo a Polícia Militar (PM), o furto aconteceu na segunda-feira (2) e os ladrões levaram os tomates que ainda não tinham sido colhidos. A Polícia Civil investiga o caso e até as 19h30 desta terça-feira (3), nenhum suspeito foi localizado.

Conforme a polícia, a alta de preço do tomate tornou o produto alvo de criminosos. Nesta terça-feira, o valor da caixa com 23 quilos é vendida na região entre R$ 58 e R$ 74. Porém, a mesma caixa já chegou a custar mais de R$ 100. “É para vender que eles roubam, porque não tem outra explicação”, afirma Sebastião Amorim, também dono do sítio.

Os donos do sítio vinham desconfiando do sumiço do produto nas plantações nas últimas semanas. “O tomate não estava naquela quantidade que a gente estava acostumado a colher. Foi então que percebemos que alguém estava roubando”, diz Aparecida Amorim, proprietária do sítio.

Para evitar novos casos de furtos, os produtores estão cercando a plantação com arame farpado e pretendem instalar um alarme. “Vou tentar dificultar o quanto for possível. É muito sofrido plantar e ver isso acontecer”, lamenta o proprietário.

Mais casos na região

As plantações de tomate de Faxinal e Marilândia do Sul, também no norte do estado, já foram alvos dos criminosos. Segundo a Polícia Civil, foram registrados oito casos desse tipo furto nas duas cidades no mês de maio. No entanto, segundo o delegado Antônio Silvio Cardoso, esse número pode ser ainda maior, pois outras vítimas não registraram boletim de ocorrência.

A cidade de Faxinal é conhecida como a “Capital do Tomate em Estufa”, pois concentra um grande número de produtores. Nas ações, tomates já armazenados em caixas e também que ainda não tinham sido colhidos, estavam nas plantações, foram levados pelos criminosos.

A maioria dos furtos é realizada durante a madrugada quando nenhum funcionário está trabalhando, conforme o delegado. A suspeita da polícia é que mais de um grupo seja responsável pelos crimes. Até esta terça-feira, a polícia não conseguiu localizar os ladrões e também não tinha identificado os compradores dos produtos furtados.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *