Paraná começa o ano sem epidemia de dengue em nenhuma das cidades

Boletim divulgado na terça (31) indica 464 casos confirmados da dengue.
Paranaguá, no litoral, está entre as cidades com maior incidência da doença.

O boletim da dengue divulgado nesta terça-feira (31) apontou 464 casos confirmados de dengue em 88 cidades do Paraná desde agosto do ano passado. O número indica 25 casos a mais do que no boletim divulgado na semana passada.

Segundo a Secretaria da Saúde do Paraná (Sesa), esta é a primeira vez em cinco anos que o estado fecha o mês de janeiro sem registrar epidemias da doença em nenhum dos 399 municípios.

O boletim apontou ainda que no mesmo período foram confirmados três casos de zika virus e 14 de infecção pelo vírus chikungunya.

Entre as cidades com maior incidência da dengue estão Maringá e Londrina, na região norte; e Paranaguá, no litoral.

Repelente contra o Aedes aegypti mais baratos
As 33 unidades do Armazém da Família em Curitiba comercializam repelentes a um preço mais barato do que o do comércio em geral. O produto com 100 ml é vendido a R$ 7,30. Segundo a prefeitura, em farmácias, por exemplo, o mesmo item custa entre R$ 9 e 12.

Os endereços de todas as unidades estão disponíveis no site da prefeitura; elas funcionam terça-feira à sexta-feira, das 8h45 às 17h15 e, aos sábados, das 8h30 às 13h.

Orientações para evitar a dengue
Confira orientações para prevenir a doença, evitando a proliferação de criadouros do mosquito da dengue:

– Evitar o acúmulo de lixo e entulhos
– Deixar sacolas e recipientes com lixo fechados
– Manter as caixas d’água, galões, tonéis ou tambores sempre vedados
– Remover a sujeira das calhas e ralos
– Não deixar pneus com água e em lugares descobertos
– Deixar garrafas ou baldes com a boca para baixo
– Verificar bandejas de ar-condicionado e geladeiras mantendo-as limpas e sem água
– Colocar areia até a borda nos pratos de vasos de flores e plantas
– Manter vasos sanitários sem uso fechados
– Tratar a água de piscinas e fontes uma vez por semana
– Esticar lonas para não formar poças
– Lavar os recipientes de água dos animais com esponja e sabão

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *